Perda Auditiva Induzida por Ruído – PAIR – é a perda auditiva ocasionada pela exposição prolongada a ruído. É uma perda neurossensorial, geralmente bilateral, progressiva com o tempo de exposição ao ruído e irreversível (CID 10 – H 83.3).

Hoje em dia a exposição a ruídos altos começa logo no início da vida… um bebê e∕ou uma criança pode ter à sua disposição diversos brinquedos que produzam sons acima de 100dB(A). Na escola, onde a criança passa, em média, quatro horas por dia, os ruídos podem chegar a 94,3dB(A). Adolescentes normalmente possuem algum tipo de dispositivo para reproduzir música, estima-se que 90% dos estudantes universitários possuam algum tipo de dispositivo para este fim. Finalmente, na fase adulta, o indivíduo, dependendo de seu local de trabalho, pode ficar exposto a ruídos altos entre oito e 12h, por dia!

Atualmente, a exposição prolongada a ruídos intensos é uma questão de saúde pública. A NR-15, da Portaria do Ministério do Trabalho nº3.214∕1978 (BRASIL, 1978), normatiza os limites de exposição a ruído contínuo, sendo:

Nível dB(A)

Tempo máximo permitido Nível dB(A) Tempo máximo permitido
85 dB(A) 8 horas 98 dB(A) 1h15min
86 dB(A) 7 horas 100 dB(A) 1 hora
87 dB(A) 6 horas 102 dB(A) 45 min
88 dB(A) 5 horas 104 dB(A) 35 min
89 dB(A) 4h30min 105 dB(A) 30 min
90 dB(A) 4 horas 106 dB(A) 25 min
91 dB(A) 3h30min 108 dB(A) 20 min
92 dB(A) 3 horas 110 dB(A) 15 min
93 dB(A) 2h30min 112 dB(A) 10 min
94 dB(A) 2 horas 114 dB(A) 8 min
95 dB(A) 1h45min 115 dB(A)

7 min

A norma também institui que o limite máximo para exposição ao ruído contínuo ou intermitente é de 115dB(A), para trabalhadores que não estejam utilizando Equipamentos de Proteção Individual – EPI – que, no caso, são protetores que têm a finalidade de reduzir a intensidade dos ruídos a que o trabalhador está exposto.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a perda auditiva tem sido a deficiência sensorial mais frequente na população atual. A PAIR já é a principal causa de perda auditiva nos Estados Unidos, sendo que, entre os jovens, a causa é o uso excessivo e altas intensidades de dispositivos de música, o que indica a necessidade de orientação dessa população.

Resultado de imagem para jovem usando fone de ouvido

Estudos apontam que a exposição contínua ao ruído pode estar associada, também, a problemas cardiovasculares, alteração no sono, alteração de memória e diminuição no rendimento e eficiência, causando problemas no local de trabalho e na vida social.

Fonte:

  • Cunha et al – Perda auditiva induzida pelo ruído ocupacional – Revista Multidisciplinar – Faculdade do Noroeste de Minas;
  • Barbosa HJC et al – Perfil clínico epidemiológico de pacientes com perda auditiva – Health Biol Sci. 2018;
  • Tomé et al – Efeitos do ruído na audição – Revista de Ciência Elementar. 2018;
  • Ministério da Saúde – Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR) – http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_perda_auditiva.pdf

 

× WhatsApp